apeona1

O que é e como funciona o financiamento de curso técnico?

Um curso técnico é a modalidade ideal de ensino para quem concluiu o ensino médio e quer uma preparação rápida e eficaz para disputar uma vaga no mercado de trabalho.

No entanto, nem todos têm condições de pagar as mensalidades de uma única vez. Talvez, por esta razão, seja necessário encontrar soluções de financiamento de curso técnico.

Felizmente, hoje em dia, alguns tipos de financiamento permitem que aluno pague parte do curso depois de formado. Há chances também de negociar com a própria faculdade e encontrar a melhor forma de pagamento.

Quer saber mais? Continue nos acompanhando e conheça algumas maneiras de financiar sua graduação e não passar sufoco durante os estudos!

PEP

O PEP (Parcelamento Estudantil Privado) é uma programa de financiamento concedido por um grupo de instituições privadas que permitem ao aluno pagar 70% do curso após a formatura. No entanto, existe uma escala de pagamento que deve ser seguida durante a faculdade.

O estudante financiado pelo PEP deve pagar 25% da mensalidade no primeiro ano de curso em todos os meses. A partir do segundo ano, o aluno terá que desembolsar todos os meses 35% da mensalidade.

Quando terminar o curso, o estudante deve pagar todos os meses 70% da última mensalidade do curso — considerando as devidas correções monetárias.

Para participar do PEP, é preciso ser aprovado e estar matriculado em cursos de faculdades participantes do programa. Lembre-se também de que o PEP não tem nenhuma ligação com o governo federal — inclusive, não exige que o candidato tenha prestado o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

Financiamento estudantil privado

Esse tipo de financiamento deve ser solicitado direto nos bancos. Ele possui taxas de juros inferiores aos praticados em outros modelos de crédito, como empréstimos tradicionais e cheque especial. Além do mais, pode ser negociada a data para o pagamento do empréstimo.

No entanto, existem planos de financiamento estudantil privado que exigem que seja dado um valor de adiantamento no primeiro mês de contrato. É preciso também comprovar documentação e aguardar aprovação do banco, pois somente este dará autorização para o financiamento.

Para que o empréstimo não fique muito alto, a recomendação é financiar o mínimo possível no menor prazo. Assim, você terá melhores condições de pagar a dívida sem ficar com o orçamento apertado — e conseguirá um bom financiamento de curso técnico.

Bolsas ou descontos institucionais

Uma maneira de não depender de bancos — e ter uma maior margem de negociação — é tentar bolsas ou descontos especiais na própria faculdade. Muitas delas oferecem bolsas de estudo de até 50% (e integrais)!

Você também pode conversar com a instituição para encontrar melhores formas de pagamento. Assim, você economiza dinheiro para estudar e fica mais tranquilo para planejar o seu futuro.

E aí, gostou dessas informações sobre financiamento de curso técnico? Tenha em mente que alguns deles são oferecidos em modalidades a distância. Se você precisa de maior flexibilidade de tempo e não quer perder o conforto de estudar em casa, não deixe de considerar essa opção!

Qual desses modelos de financiamento mais agrada a você? Deixe seu comentário neste post e conte para a gente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *